Um bicho e um abismo

Em mim vive um ser
Que se alimenta
De saudades

Cada vez maior
Um dia ele morre
E deixa no lugar
Apenas um vazio

Em mim há um abismo
Que se alimenta
Da tua ausência

Cada vez maior
Um dia eu caio
E sou engolido
Pra nunca mais voltar