O coveiro

Hoje ainda não enterrei ninguém. A cidadezinha é minúscula e quase ninguém morre por aqui.Enterro um a cada quatro ou cinco meses e olhe lá...

É frustrante,sabiam? Tá lá no registro de minha carteira de trabalho:Sebastião Brigungelo,profissão:coveiro.Todo mês recebo o salário e fico até sem graça...trabalho tão pouco,pra receber tanto.

Ano passado que foi uma beleza,aconteceu um baita acidente ali no contorno da rodovia e só aqui da cidade foram oito pro brejo.Trabalhei que nem um condenado.Tinha só uma cova aberta,abri mais sete e no outro dia foi só ouvir a choradeira dos parentes,vizinhos e curiosos.O cemitério tava cheio,parecia festa de peão.Cumpri com o meu nobre dever e fui dormir tranquilo.O salario do mês tava justificado.

E agora?

Aqui ninguém morre de repente.Quando alguém tem um enfarte,demora dois anos pra ir até o posto de saúde e quando chega lá o medico diz:é nada não,toma esse mataressaca e só volta daqui três ou quatro anos...

E tem os que deveriam morrer e nunca morrem.São os pilantras que passam a perna no povo! Não morrem porque comem bem,vivem bem e não precisam do SUS  porque  são bem tratados lá na capital,em hospitais de grife,tudo pago com o nosso rico dinheirinho.Ah!morro de pena quando enterro um anjinho...recem-nascido não deveria morrer,nem criança,nem jovem...mas Deus sabe o que faz.

E a minha missão por aqui,é botar o caixão na cova,por  terra em cima e ajudar na reza.Bem discreto,baixinho,rezo por todos.Alguns até nem mereciam,mas quem sou eu pra julgar defunto morto?Morreu,abotoou o paletó,tá zerado,como dizem por aí.Vocês perceberam que em velório só tem frase feita?

- Fulano de tal era tão bonzinho...

- Bom pai,bom marido,bom filho.Uma pessoa do bem.Justo e “defensor” de grandes causas sociais.Quando foi pego com a boca na botija,contratou o melhor advogado da cidade e provou que dois e dois as vezes são cinco,ou vinte e dois,conforme o caso.E esse cretino vocês conhecem muito bem.É duro na queda.Tá parecendo um morto-vivo,mas não morre nem com reza braba.Mas a hora dele vai chegar.Vou cavar uma covona bem funda pro bichão não escapar de jeito nenhum.E vai ter foguetório na cidade!

Medo da morte? Tenho não,tenho medo é dos vivos.Morto de morte morrida só cumpre o papel de morto:fica lá na cova,quietinho,até virar caveira de sorriso eterno.Sorriso bonito de se ver.Isso prova que o além não é tão ruim,como afirmam certas pessoas...querem um exemplo?

Sim, você, ó caríssimo leitor:

Nunca vi ninguém levantar da cova e dizer que o outro mundo é um deus nos acuda,com violência,assaltos,corrupção e impostos abusivos.

Sim leitor, você também tem um lugarzinho garantido na eternidade,com direito a asinhas nas costas e espaço de sobra pra ficar voando no espaço interminável,sem fazer nada,sem pensar no dia de amanhã.

Sim,meu amigo,fora o motorista de ônibus,tudo nesta vida é passageiro.

Tenha medo não,vem...

...vem pro caixão você também!